Assinatura Digital esta Revolucionando o Mercado Imobiliário.

Assinatura digital tem sido adotada em diversos países da Europa, Ásia e América do Norte revolucionando a maneira como as pessoas assinam documentos e contratos. Apesar de já existir desde 2005 no Brasil, essa forma de assinatura não costumava estar acessível a todos por ser muito cara e pouco conhecida.

 

Porém essa realidade já está mudando, principalmente no mercado imobiliário. Diversas imobiliárias já estão assinando contratos e documentos digitalmente a valores acessíveis, trazendo agilidade, economia e praticidade. Contribuindo para esse movimento, a empresa Câmara de Contratos, plataforma de assinatura, gestão e armazenamento de contratos, está mudando a realidade das principais imobiliárias do país. Sua primeira parceria foi no Paraná, junto ao Sindicato de Habitação e Condomínios - Secovi-PR, capacitando a maioria das Imobiliárias associadas.

De acordo com o presidente do Secovi-PR, Luis Carlos Borges, "a parceria com a Câmara de Contratos é de extrema importância, pois a assinatura digital proporciona agilidade, economia de tempo e custos, bem como segurança às partes envolvidas".

A Câmara de Contratos possui mais de 3.500 clientes utilizando a solução. Apenas de janeiro a abril de 2018, a empresa registrou mais de 20 mil assinaturas em seu sistema. Mais de 150 imobiliárias já estão cadastradas somente no estado do Paraná.

Esse procedimento facilita a muito a vida de clientes que não reside dentro da cidade que irá assinar o contrato, uma nova forma alternativa de agilizar os seus processos.

fonte: www.terra.com.br 

Último
Os preços de locação avançaram 0,58% em fevereiro.
março 16, 2018

O Índice FipeZap de Locação – que acompanha o preço de aluguel de imóveis em 15 cidades brasileiras – registrou alta de 0,58% no segundo mês de 2018, superando novamente a inflação do período medida pelo IPCA/IBGE (+0,32%).

Trata-se da terceira alta nominal consecutiva do índice, após alta de 0,09% em dezembro e de 0,35% em janeiro. Quase todas as cidades monitoradas pelo Índice FipeZap acompanharam esse movimento, com destaque para Goiânia (+1,65%), Salvador (+1,59%) e Florianópolis (+1,37%).

Apenas duas cidades registraram queda no último mês: Fortaleza (-0,19%) e Belo Horizonte (-0,07%). Em 2018, os preços de locação de imóveis residenciais acumulam alta de 0,93%, face à inflação de 0,61% (IPCA/IBGE).

Considerando os últimos 12 meses, o índice ainda acumula queda nominal de 0,09% no preço médio do aluguel. Esse resultado é influenciado pela queda expressiva dos preços em cidades como Rio de Janeiro (-7,64%), Niterói (-5,24%) e Fortaleza (-3,92%).

Já entre as regiões que acumulam aumento no preço médio do aluguel nos últimos 12 meses, destacam-se Curitiba (+7,07%), Florianópolis (+4,61%) e Salvador (+4,15%). Comparando-se à inflação acumulada no período (+2,84%), o Índice FipeZap de Locação registra queda real de 2,86% nos últimos 12 meses.

Em fevereiro de 2018, o valor médio do aluguel de imóveis nas cidades monitoradas foi de R$ 28,22/m². São Paulo se mantém como a cidade com o maior valor médio por m² do país (R$ 36,18/m² ), seguida por Rio de Janeiro (R$ 31,21/m² ) e Santos (R$ 28,90/m² ). Já entre as cidades com o valor do aluguel mais barato por m2 no mês de análise, destacam-se Goiânia (R$ 15,59/m² ), Fortaleza (R$ 16,09/m² ) e Curitiba (R$ 17,40/m² ).

Comparando-se o preço médio de locação com o preço médio de venda dos imóveis, é possível obter uma medida da rentabilidade para o investidor que opta por alugar seu imóvel.

Esse indicador é relevante, em particular, para avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a outras opções de investimento disponíveis. Em fevereiro de 2018, o retorno médio anualizado do aluguel foi de 4,4%.

Nota (*): os preços considerados para o cálculo se referem a anúncios para novos aluguéis. O Índice FipeZap de Locação não incorpora em seu cálculo a correção dos aluguéis em contratos vigentes, cujos valores são reajustados periodicamente, de acordo com o especificado em contrato.

 

Ou seja, o Índice FipeZap de Locação representa de forma mais dinâmica a evolução da oferta e da demanda por moradia ao longo do tempo.

Fonte: http://fipezap.zapimoveis.com.br

 

Por: jamaica
0
Pequenas economias cotidianas com foco na compra da casa própria.
março 2, 2018

A meta é comprar sua casa própria, mas ainda falta dinheiro? Comprar a primeira casa própria é uma tarefa que exige bastante planejamento e controle, porém, esse sonho pode ser realizado mais rápido se você se organizar e fizer pequenas economias no seu dia a dia. Parece pouco, mas é a melhor forma de manter o foco na missão de conquistar o seu tão sonhado lar.

A primeira dica pode soar óbvia para você, mas não tem jeito melhor de se comprometer com um objetivo do que estipular metas e se organizar. Conseguir reservar todo mês um dinheiro para sua casa é fundamental para isso!

Faça suas contas e estipule um valor para separar mensalmente, como se fosse uma conta a mais que você tem para pagar, ou um conjunto de parcelas. Guarde esse dinheiro em uma poupança e evite a todo custo mexer nele.

Algumas contas que pagamos são rotineiras e podemos prever o quanto vamos gastar com elas antes de chegarem até a nossa casa.

Se você paga algum serviço com valor variável, procure usar uma média mensal para se programar e tiver visibilidade de quanto dinheiro vai sobrar para passar o mês, resolver eventuais imprevistos e colocar na poupança.

Se você tem alguma habilidade especial, invista o tempo livre na produção de algum bem ou atividade que possa ser remunerado. Um segundo trabalho informal pode ser uma mão na roda quando você precisa fazer dinheiro com mais rapidez.

Ao escolher o financiamento da casa, procure uma opção que caiba no seu bolso sem causar grandes problemas no futuro. Além das parcelas do imóvel, você deve conseguir pagar todas as contas, alimentação, transporte e ter um valor mínimo reservado para emergências.

Isso garantirá que você viva com algum conforto sem ficar endividado caso um imprevisto aconteça. O seu corretor poderá orientá-lo sobre as melhores alternativas de financiamento e fazer todos os cálculos em longo prazo para que você planeje seu futuro antecipadamente.

Planejamento é tudo na vida de quem quer comprar a primeira casa própria, portanto fique atento, mantenha o foco e continue lendo mais aqui sobre sugestões para realizar esse sonho.

 

Fonte:  Imovelweb/blog.

0
Prateleiras é uma solução para organizar o seu lar.
fevereiro 23, 2018

Prateleiras é uma solução para organizar o seu lar.

Espaços pequenos são mais comuns nos dias atuais, por isso as prateleiras e nichos é uma ótima opção para organização e decoração de seu imóvel.  Podemos aproveitar em todos ambientes como: Na cozinha, na sala, no banheiro, hall de entrada e na varanda não existe espaço aonde não combinem.  Além de ajudar a organizar reúne o charme a beleza, por possuir inúmeras cores, modelos e tamanhos.

Então vamos logo para nossas dicas, acompanhe nosso artigo e se encha de ideias para sua casa.

Harmonia de cores.

 

 

 

Não podemos falar de decoração sem falar na harmonia de cores, se a sua casa for muito cheia de detalhes, pense em prateleiras mais discretas. Elas podem acompanhar a cor da parede, por exemplo.  Também outra linha de pensamento, se a sua casa for discreta, aplique essa linha de decoração as prateleiras também e deixe o foco nos objetos que ficarão nelas.

Assim, em prateleiras brancas, podemos criar um ambiente mais focado no dourado ou em cores mais sóbrias.

Extensão infinita.

As prateleiras não precisam se delimitadas em um espaço único, ela pode ter vários tamanhos, espessuras e extensões. Você pode usa-las  de ponta a ponta na parede simulando uma estante, porem mais clean e mais moderna.

Não é nenhuma novidade que as prateleiras são as melhores amigas de quem não tem espaço em casa. Elas não são apenas itens de decoração, mas se tornam imprescindíveis para quem precisa organizar vários itens em um local pequeno.

Espaços pequenos

Usando a criatividade, o espaço que falta no chão surge nas paredes. As prateleiras podem esconder toda a bagunça de caixas e peças largadas pelo chão e que podem incomodar a circulação o ambiente.

No exemplo da foto, o projeto apostou em prateleiras de larguras diferentes. Perceba que na prateleira mais alta, a largura é a ideal para apoiar caixas, enquanto a mais baixa fica disponível para pequenos objetos e até porta-retratos.

Mesmo em um quarto pequeno, onde a cama toma praticamente todo o espaço, ainda existe a possibilidade de guardar diversos itens, decorando o ambiente. Só tome cuidado ao usar caixas transparentes, pois se a ideia é guardar a bagunça, ela ficará visível para quem entrar no local.

Prefira caixas ou cestas em tons mais escuros ou que imitem madeira, assim o ambiente fica mais visivelmente organizado.

Sapateiras suspensas

Pelo título desse item já dá para imaginar a ideia, não é mesmo? Olha que criativo usar prateleiras em posições diferentes para criar uma sapateira suspensa na parede.

 

Para quem tem poucos sapatos, o espaço pode ser criado atrás da porta ou naquele canto do guarda-roupa. Já quem tem espaço e um closet, por exemplo, imagine uma parede toda com sapateiras suspensas. O efeito é incrível.

 

 

Fonte: Gazeta e imovelweb.

0
Susto com o boleto do IPTU? Taxa do lixo desvinculada “muda” o valor.
janeiro 26, 2018

 

Proprietários de imóveis em Curitiba se assustaram com o valor impresso nos carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) recebido este ano. Isso porque, além do reajuste do imposto aprovado em dezembro pela Câmara Municipal, a partir deste ano a Taxa de Coleta de Lixo (TCL) está desvinculada do imposto predial, embora ambos sejam pagos juntos. A intenção é zerar o déficit de cerca de R$ 80 milhões no pagamento ao serviço de coleta com a inclusão de mais contribuintes, de acordo com cálculos da prefeitura. A previsão para o custo de coleta em toda a cidade este ano é de R$ 209 milhões.

Aprovado em dezembro do ano passado pelos vereadores, o imposto predial sofreu reajuste de 4% para imóveis com edificação e 7% para terrenos vazios. Assim, considerando projeções do mercado financeiro para a inflação do período entre novembro de 2016 ao mesmo mês de 2017, os proprietários de imóveis com edificação se veem diante de um acréscimo total de aproximadamente 7% sobre o que foi pago no ano passado. Para os espaços onde não há construção, o acréscimo é de cerca de 10%.

A TCL continua incluída e discriminada no boleto do IPTU, e a operação de pagamento permanece a mesma. Com a desvinculação da taxa, os imóveis residenciais passam a pagar R$ 275,40 e os não residenciais, R$ 471,60. Os valores são os mesmos já praticados no ano passado, informa a prefeitura. Para efeito de avaliação, o município considera a taxa residencial para o imóvel que gera até 600 litros de resíduo por semana.

Até o ano passado, havia um limitador relativo à taxa de lixo paga pelos proprietários. Ele impedia que o valor da taxa fosse maior que o cobrado pelo IPTU; assim, quem pagava R$ 50 de imposto predial, por exemplo, desembolsava outros R$ 50 para o serviço de coleta. “Com essa limitação, alguém estava pagando a diferença”, explica Sérgio Luiz Primo, diretor do departamento de Rendas Imobiliárias da prefeitura. “Era o município. Chegamos em 2017 com um déficit de R$ 80 milhões no serviço de coleta de lixo”, informa.

Como o valor arrecadado ficava abaixo do custo do serviço, Primo acrescenta que o município precisava tirar recursos destinados a outras áreas para que o serviço não fosse interrompido. Segundo números da prefeitura, no ano passado, foram arrecadados R$ 120 milhões para um serviço que custa R$ 200 milhões.

Isentos passam a pagar

Segundo informações publicadas no site da prefeitura, como historicamente IPTU e taxa do lixo eram cobrados juntos, os descontos e imunidades relativas ao imposto acabavam incidindo também na taxa. A isenção é concedida a proprietários de imóvel simples – de até 70 metros quadrados de área construída, padrão simples de acabamento e valor venal de até R$ 140 mil, e edificações construídas pela Cohab, incluindo as do programa Minha Casa Minha Vida -, mais clubes, igrejas, associações e imóveis públicos. Somados, informa a prefeitura, somam 450 mil imóveis em Curitiba, ou mais da metade de total.

Para esses, o desconto da taxa variava, de acordo com cada caso, desde 1% da taxa até a isenção total da cobrança do serviço. Agora, os imóveis isentos também passam a pagar pelo serviço. No caso dos imóveis simples, os proprietários vão pagar 50% dos R$ 275,40.

“Para que seja possível fazer a composição dos valores, ou se aumenta demasiadamente o valor da taxa ou se traz mais contribuintes para a lista. Foi escolhida a segunda opção, a mais viável”, detalha. “O imposto é gradual de acordo com o patrimônio: quem tem patrimônio maior, imóvel que vale milhões, por exemplo, paga IPTU mais elevado. A taxa é a remuneração pelo serviço prestado”, acrescenta o diretor.

Uma dificuldade de compreensão que a prefeitura informa já ter identificado nos questionamentos que tem recebido se refere à distribuição da cobrança dentro dos imóveis. Segundo Primo, se até o ano passado a taxa estava limitada ao valor do IPTU, hoje ela incide por unidade dentro do imóvel. “Se há um valor acima de R$ 275,40 no imóvel, é sinal de que tem mais de uma residência no local”, esclarece.

Como pagar

O pagamento integral – IPTU mais taxa de lixo – pode ser feito à vista, com desconto de 4%, até o dia 9 de fevereiro. Ou em até dez vezes, com parcelas mínimas de R$ 20, também para o valor total do boleto. A operação de pagamento é uma e só com o documento incluindo as duas cobranças.

A prefeitura informa que não haverá alteração de valor da taxa de lixo para quem já pagava integralmente pelo serviço no ano passado. Já sobre o IPTU, incide reajuste anual.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Por: jamaica
0
Resultado de imagem para empreendimentos imagens de cima em curitiba
Lançamento Imobiliário cresce em Curitiba.
janeiro 5, 2018

Pela primeira vez desde o ano de 2011, o mercado imobiliário teve um aumento significativo, contabilizando uma alta de 10,3% em empreendimento de 48,7% nas unidades lançadas, e as perspectivas para 2018 são de retomada do setor.

Os dados foram revelados no Perfil Imobiliário 2017, pesquisa anualmente realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR) e Brain Bureau de Inteligência Corporativa. Este crescimento foi impactado por imóveis de valor menor, incluído no programa MCMV.

Em Curitiba, a pesquisa revelou que Centro, Ecoville e Portão foram os bairros com a maior quantidade de lançamentos, totalizando 36% dos imóveis que foram colocados à venda no ano. Já com relação aos alvarás liberados para construção, a Região Norte ficou em primeiro lugar, com 687 unidades, seguida da Linha Verde (566 unidades) e da Região do Ecoville/Champagnat (458 unidades). Com base nesses dados, as perspectivas para 2018 são de retomada do setor, prometendo uma alta ainda maior.

Para quem procura imóvel novo para comprar, os menores preços do m² estão nas regiões da Linha Verde (Pinheirinho, Capão Raso, Novo Mundo, Xaxim, Fanny, Hauer, Parolin, Prado Velho, Guabirotuba e Jardim Botânico), Região Norte (Abranches, Atuba, Bacacheri, Bairro Alto, Barreirinha, Boa Vista, Cachoeira, Pilarzinho, Santa Cândida, São Lourenço, Taboão, Tarumã e Tingui) e Região Sul (principalmente Boqueirão e Umbará). (dados da gazeta do Povo).

Perspectivas para 2018 – O presidente da Ademi/PR, Jacirlei Soares Santos, acredita que há sinais importantes que devem promover a recuperação do mercado imobiliário em 2018, como a melhora da confiança empresarial, crescimento na economia e redução da taxa de juros, com reflexos no crédito ao consumidor e em captação de investimentos para o setor. “Acredita-se que parte da redução dessa taxa implicará em juros menores de financiamento imobiliário, expandindo o mercado”.

 

 

Fonte: Gazeta do Povo e Bem Paraná.

0
Dicas de como reformar seu quarto sem gastar muito
dezembro 1, 2017

Com criatividade você cria lindas decorações e deixa seu quarto com a sua cara

A hora da mudança nos possibilita fazer uma mudança do jeito que sempre sonhamos. Mas nem sempre é possível fazer isso por conta dos altos custos. Reformar um quarto, por exemplo, nem sempre conseguimos deixá-lo do jeito que queremos e pensando nisso, encontramos dicas muito legais para reformar o seu quarto sem gastar muito.

São dicas sustentáveis com toques de reaproveitamento que renderão ótimas mobílias, móveis diferentes e muito bonitos. Você não precisa ir às lojas caras e conceituadas para encontrar o que sempre sonhou. Aqui você irá encontrar. Quer ver só? Confira:

Fazendo uma cama diferente

A cama é um dos móveis com possibilidades diferentes para inovar. Pallets, por exemplo, são ótimos para dar a sustentação ao colchão. Fica um estilo bem diferente e traz o conforto necessário.


 

Guarda-roupa? Por que não araras?

Com as inovações chegando a cada dia, apostar em móveis tradicionais não precisa ser mais uma máxima. Você pode, por exemplo, apostar nas araras para substituir um guarda-roupa grande e que irá ocupar boa parte do quarto.


 

Aposte nas decorações das paredes

Prateleiras, luzes pisca-pisca, quadros, pôsteres, pequenos espelhos… Tudo isso são adereços, em tese, bem baratinhos e que podem transformar uma decoração de um jeito que você nem imaginava. A ideia é simples e as imagens podem falar mais do que qualquer explicação. Se você sempre sonhou com um quarto com estilo, agora é a hora.

 

Fonte: Imóvelweb.

0
12345 Último
Siga a Jamaica Imóveis nas Redes Sociais

«junho de 2018»
segterquaquisexsábdom
28293031123
45678910
11121314151617
18192021222324
2526272829301
2345678
Pornolar sikis izle, turk sex

pornolar

turk porn

turk sex sikis seyret

porno hd izlemek icin en ideal sex sitesi.
Pornolar sikis izle, turk sex

pornolar

turk porn

turk sex sikis seyret

porno hd izlemek icin en ideal sex sitesi.

antalya escort

istanbul escort istanbul escort istanbul escort umraniye escort istanbul escort
istanbul escort istanbul escort sirinevler escort
kredi online