Susto com o boleto do IPTU? Taxa do lixo desvinculada “muda” o valor.

 

Proprietários de imóveis em Curitiba se assustaram com o valor impresso nos carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) recebido este ano. Isso porque, além do reajuste do imposto aprovado em dezembro pela Câmara Municipal, a partir deste ano a Taxa de Coleta de Lixo (TCL) está desvinculada do imposto predial, embora ambos sejam pagos juntos. A intenção é zerar o déficit de cerca de R$ 80 milhões no pagamento ao serviço de coleta com a inclusão de mais contribuintes, de acordo com cálculos da prefeitura. A previsão para o custo de coleta em toda a cidade este ano é de R$ 209 milhões.

Aprovado em dezembro do ano passado pelos vereadores, o imposto predial sofreu reajuste de 4% para imóveis com edificação e 7% para terrenos vazios. Assim, considerando projeções do mercado financeiro para a inflação do período entre novembro de 2016 ao mesmo mês de 2017, os proprietários de imóveis com edificação se veem diante de um acréscimo total de aproximadamente 7% sobre o que foi pago no ano passado. Para os espaços onde não há construção, o acréscimo é de cerca de 10%.

A TCL continua incluída e discriminada no boleto do IPTU, e a operação de pagamento permanece a mesma. Com a desvinculação da taxa, os imóveis residenciais passam a pagar R$ 275,40 e os não residenciais, R$ 471,60. Os valores são os mesmos já praticados no ano passado, informa a prefeitura. Para efeito de avaliação, o município considera a taxa residencial para o imóvel que gera até 600 litros de resíduo por semana.

Até o ano passado, havia um limitador relativo à taxa de lixo paga pelos proprietários. Ele impedia que o valor da taxa fosse maior que o cobrado pelo IPTU; assim, quem pagava R$ 50 de imposto predial, por exemplo, desembolsava outros R$ 50 para o serviço de coleta. “Com essa limitação, alguém estava pagando a diferença”, explica Sérgio Luiz Primo, diretor do departamento de Rendas Imobiliárias da prefeitura. “Era o município. Chegamos em 2017 com um déficit de R$ 80 milhões no serviço de coleta de lixo”, informa.

Como o valor arrecadado ficava abaixo do custo do serviço, Primo acrescenta que o município precisava tirar recursos destinados a outras áreas para que o serviço não fosse interrompido. Segundo números da prefeitura, no ano passado, foram arrecadados R$ 120 milhões para um serviço que custa R$ 200 milhões.

Isentos passam a pagar

Segundo informações publicadas no site da prefeitura, como historicamente IPTU e taxa do lixo eram cobrados juntos, os descontos e imunidades relativas ao imposto acabavam incidindo também na taxa. A isenção é concedida a proprietários de imóvel simples – de até 70 metros quadrados de área construída, padrão simples de acabamento e valor venal de até R$ 140 mil, e edificações construídas pela Cohab, incluindo as do programa Minha Casa Minha Vida -, mais clubes, igrejas, associações e imóveis públicos. Somados, informa a prefeitura, somam 450 mil imóveis em Curitiba, ou mais da metade de total.

Para esses, o desconto da taxa variava, de acordo com cada caso, desde 1% da taxa até a isenção total da cobrança do serviço. Agora, os imóveis isentos também passam a pagar pelo serviço. No caso dos imóveis simples, os proprietários vão pagar 50% dos R$ 275,40.

“Para que seja possível fazer a composição dos valores, ou se aumenta demasiadamente o valor da taxa ou se traz mais contribuintes para a lista. Foi escolhida a segunda opção, a mais viável”, detalha. “O imposto é gradual de acordo com o patrimônio: quem tem patrimônio maior, imóvel que vale milhões, por exemplo, paga IPTU mais elevado. A taxa é a remuneração pelo serviço prestado”, acrescenta o diretor.

Uma dificuldade de compreensão que a prefeitura informa já ter identificado nos questionamentos que tem recebido se refere à distribuição da cobrança dentro dos imóveis. Segundo Primo, se até o ano passado a taxa estava limitada ao valor do IPTU, hoje ela incide por unidade dentro do imóvel. “Se há um valor acima de R$ 275,40 no imóvel, é sinal de que tem mais de uma residência no local”, esclarece.

Como pagar

O pagamento integral – IPTU mais taxa de lixo – pode ser feito à vista, com desconto de 4%, até o dia 9 de fevereiro. Ou em até dez vezes, com parcelas mínimas de R$ 20, também para o valor total do boleto. A operação de pagamento é uma e só com o documento incluindo as duas cobranças.

A prefeitura informa que não haverá alteração de valor da taxa de lixo para quem já pagava integralmente pelo serviço no ano passado. Já sobre o IPTU, incide reajuste anual.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Último
Susto com o boleto do IPTU? Taxa do lixo desvinculada “muda” o valor.
janeiro 26, 2018

 

Proprietários de imóveis em Curitiba se assustaram com o valor impresso nos carnês do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) recebido este ano. Isso porque, além do reajuste do imposto aprovado em dezembro pela Câmara Municipal, a partir deste ano a Taxa de Coleta de Lixo (TCL) está desvinculada do imposto predial, embora ambos sejam pagos juntos. A intenção é zerar o déficit de cerca de R$ 80 milhões no pagamento ao serviço de coleta com a inclusão de mais contribuintes, de acordo com cálculos da prefeitura. A previsão para o custo de coleta em toda a cidade este ano é de R$ 209 milhões.

Aprovado em dezembro do ano passado pelos vereadores, o imposto predial sofreu reajuste de 4% para imóveis com edificação e 7% para terrenos vazios. Assim, considerando projeções do mercado financeiro para a inflação do período entre novembro de 2016 ao mesmo mês de 2017, os proprietários de imóveis com edificação se veem diante de um acréscimo total de aproximadamente 7% sobre o que foi pago no ano passado. Para os espaços onde não há construção, o acréscimo é de cerca de 10%.

A TCL continua incluída e discriminada no boleto do IPTU, e a operação de pagamento permanece a mesma. Com a desvinculação da taxa, os imóveis residenciais passam a pagar R$ 275,40 e os não residenciais, R$ 471,60. Os valores são os mesmos já praticados no ano passado, informa a prefeitura. Para efeito de avaliação, o município considera a taxa residencial para o imóvel que gera até 600 litros de resíduo por semana.

Até o ano passado, havia um limitador relativo à taxa de lixo paga pelos proprietários. Ele impedia que o valor da taxa fosse maior que o cobrado pelo IPTU; assim, quem pagava R$ 50 de imposto predial, por exemplo, desembolsava outros R$ 50 para o serviço de coleta. “Com essa limitação, alguém estava pagando a diferença”, explica Sérgio Luiz Primo, diretor do departamento de Rendas Imobiliárias da prefeitura. “Era o município. Chegamos em 2017 com um déficit de R$ 80 milhões no serviço de coleta de lixo”, informa.

Como o valor arrecadado ficava abaixo do custo do serviço, Primo acrescenta que o município precisava tirar recursos destinados a outras áreas para que o serviço não fosse interrompido. Segundo números da prefeitura, no ano passado, foram arrecadados R$ 120 milhões para um serviço que custa R$ 200 milhões.

Isentos passam a pagar

Segundo informações publicadas no site da prefeitura, como historicamente IPTU e taxa do lixo eram cobrados juntos, os descontos e imunidades relativas ao imposto acabavam incidindo também na taxa. A isenção é concedida a proprietários de imóvel simples – de até 70 metros quadrados de área construída, padrão simples de acabamento e valor venal de até R$ 140 mil, e edificações construídas pela Cohab, incluindo as do programa Minha Casa Minha Vida -, mais clubes, igrejas, associações e imóveis públicos. Somados, informa a prefeitura, somam 450 mil imóveis em Curitiba, ou mais da metade de total.

Para esses, o desconto da taxa variava, de acordo com cada caso, desde 1% da taxa até a isenção total da cobrança do serviço. Agora, os imóveis isentos também passam a pagar pelo serviço. No caso dos imóveis simples, os proprietários vão pagar 50% dos R$ 275,40.

“Para que seja possível fazer a composição dos valores, ou se aumenta demasiadamente o valor da taxa ou se traz mais contribuintes para a lista. Foi escolhida a segunda opção, a mais viável”, detalha. “O imposto é gradual de acordo com o patrimônio: quem tem patrimônio maior, imóvel que vale milhões, por exemplo, paga IPTU mais elevado. A taxa é a remuneração pelo serviço prestado”, acrescenta o diretor.

Uma dificuldade de compreensão que a prefeitura informa já ter identificado nos questionamentos que tem recebido se refere à distribuição da cobrança dentro dos imóveis. Segundo Primo, se até o ano passado a taxa estava limitada ao valor do IPTU, hoje ela incide por unidade dentro do imóvel. “Se há um valor acima de R$ 275,40 no imóvel, é sinal de que tem mais de uma residência no local”, esclarece.

Como pagar

O pagamento integral – IPTU mais taxa de lixo – pode ser feito à vista, com desconto de 4%, até o dia 9 de fevereiro. Ou em até dez vezes, com parcelas mínimas de R$ 20, também para o valor total do boleto. A operação de pagamento é uma e só com o documento incluindo as duas cobranças.

A prefeitura informa que não haverá alteração de valor da taxa de lixo para quem já pagava integralmente pelo serviço no ano passado. Já sobre o IPTU, incide reajuste anual.

Fonte: Gazeta do Povo

 

Por: jamaica
0
Resultado de imagem para empreendimentos imagens de cima em curitiba
Lançamento Imobiliário cresce em Curitiba.
janeiro 5, 2018

Pela primeira vez desde o ano de 2011, o mercado imobiliário teve um aumento significativo, contabilizando uma alta de 10,3% em empreendimento de 48,7% nas unidades lançadas, e as perspectivas para 2018 são de retomada do setor.

Os dados foram revelados no Perfil Imobiliário 2017, pesquisa anualmente realizada pela Associação dos Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário do Paraná (Ademi/PR) com o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR) e Brain Bureau de Inteligência Corporativa. Este crescimento foi impactado por imóveis de valor menor, incluído no programa MCMV.

Em Curitiba, a pesquisa revelou que Centro, Ecoville e Portão foram os bairros com a maior quantidade de lançamentos, totalizando 36% dos imóveis que foram colocados à venda no ano. Já com relação aos alvarás liberados para construção, a Região Norte ficou em primeiro lugar, com 687 unidades, seguida da Linha Verde (566 unidades) e da Região do Ecoville/Champagnat (458 unidades). Com base nesses dados, as perspectivas para 2018 são de retomada do setor, prometendo uma alta ainda maior.

Para quem procura imóvel novo para comprar, os menores preços do m² estão nas regiões da Linha Verde (Pinheirinho, Capão Raso, Novo Mundo, Xaxim, Fanny, Hauer, Parolin, Prado Velho, Guabirotuba e Jardim Botânico), Região Norte (Abranches, Atuba, Bacacheri, Bairro Alto, Barreirinha, Boa Vista, Cachoeira, Pilarzinho, Santa Cândida, São Lourenço, Taboão, Tarumã e Tingui) e Região Sul (principalmente Boqueirão e Umbará). (dados da gazeta do Povo).

Perspectivas para 2018 – O presidente da Ademi/PR, Jacirlei Soares Santos, acredita que há sinais importantes que devem promover a recuperação do mercado imobiliário em 2018, como a melhora da confiança empresarial, crescimento na economia e redução da taxa de juros, com reflexos no crédito ao consumidor e em captação de investimentos para o setor. “Acredita-se que parte da redução dessa taxa implicará em juros menores de financiamento imobiliário, expandindo o mercado”.

 

 

Fonte: Gazeta do Povo e Bem Paraná.

0
Confira algumas dicas para quem quer colocar seu imóvel à venda.
novembro 17, 2017

Para não perder o negocio em tempos de baixa liquidez no mercado imobiliário, pequenos detalhes fazem a diferença para fechar o negócio.

1-      Organize os Documentos;

Cerca de 20% das negociações são interrompidas na hora de assinar o contrato por problemas na documentação do imóvel ou  do vendedor, a burocracia é grande por isso, é e essencial organizar todas a documentação para não perder a venda por um detalhe.

A lista necessária é imensa, inclui certidão do imóvel atualizada com ônus, negativas de débitos de IPTU e condomínio, além de diversos documentos pessoais. Você terá que regularizar qualquer pendencias ou terá que provar que seu nome não esta envolvido em processos judicias, ou dividas com a Receita Estadual ou Federal.

2-      Estabeleça um Preço Justo;

A maioria dos vendedores coloca o preço acima do valor de mercado, por isso tem a dificuldade de fechar negócio. “O imóvel vale quanto os compradores estão disposto a pagar, não quanto  o vendedor quer”.

3-      Tenha jogo de cintura para negociar;

 No Brasil, se você não viver uma pequena margem de negociação, você pode criar uma barreira que impeça a concretização do negocio, por isso estabeleça  um limite  no valor desejado para vender seu imóvel, porem não flexibilize demais, o segredo é exigir margens pequenas ouy algo em troca. Tenha cuidado para não mostrar que você tem pressa para vender seu imóvel

Dentro das dicas passada acima, traga seu imóvel para quem entende de negócio.

Vem para Jamaica Imóveis.

 Fonte: Exame.com

0
O tempo médio para concretizar o negócio bate recorde, mas o preço não baixa.
novembro 10, 2017

 Esta difícil vender um #imóvel nos dias atuais, o tempo médio para se realizar um #negócio cresceu e mesmo assim os preços não baixam. No Brasil o tempo médio para se vender um imóvel chegou há 01 ano e quatro meses, de acordo com o levantamento da Associação Brasileira das Incorporadoras #imobiliárias. Este é o tempo maior já registrado.

Porem mesmo com tanta oferta, os preços cedem um pouco, mas nos últimos 12 meses recuaram, apenas, 0,5%.

Com o excesso de oferta e estoque alto o normal seria que todos os preços baixassem mais. Mas não foi isso que aconteceu. Os corretores explicam que os donos dos imóveis antigos resistem em cobrar menos. Já nos lançamentos, as empresas não podem esperar.

“Tem muito imóvel antigo estocado porque o vendedor do imóvel antigo não é profissional de venda. Cada um pede o preço que prefere. Então é um pouco mais difícil de lidar”, explicou Edson Pires, que é diretor de imobiliária.

Veja a matéria completa:  https://goo.gl/Jg2VTQ

 

 

 

Por: jamaica
0
Escolha o bairro ideal para morar em Curitiba
outubro 23, 2017

Quem busca casas para alugar ou casas à venda em Curitiba certamente deve ter ouvido falar que a cidade é um excelente lugar para morar e até mesmo investir. Famosa por suas áreas verdes, Curitiba também é conhecida como a capital ecológica, afinal a capital paranaense oferece aproximadamente 30 bosques e parques que se misturam com a paisagem urbana.

Mas Curitiba tem muito mais a oferecer. A cidade conta com muitos pontos turísticos, alguns deles centrais, que relatam sua história, origem e garantem muita diversão e aprendizado para quem visita e mora na cidade. Vale a pena reservar um dia para passear no Paço Municipal, Passeio Público, Largo da Ordem, Ópera de Arame, Pedreira Paulo Leminski, Praça Tiradentes, Catedral Basílica Municipal, entre outros pontos turísticos para conhecer as peculiaridades locais. Além disso, a cidade oferece grandes shoppings com uma variedade de lojas, marcas famosas, e opções culturais, de lazer e entretenimento para todos os gostos idades como: cinemas, teatros, shows nacionais e internacionais, museus, festas, feiras e gastronomia da melhor qualidade e o melhor, o ano inteiro.

O modelo de transporte coletivo, onde os ônibus circulam por aproximadamente 72 km de canaletas exclusivas, já serviu como exemplo para outras cidades e países. Os “ligeirinhos” param em mais de 300 estações tubos, já os ônibus biarticulados têm capacidade para 270 passageiros. Os curitibanos também podem usufruir das linhas Circular centro, Convencional, Alimentador, Interbairros, Linha Direta, Expresso que atendem os bairros e a Região Metropolitana e que agilizam o transporte de milhares de usuários diariamente. Para quem precisa se deslocar entre os hospitais e laboratórios clínicos da cidade, a Linha Inter-hospitais atende perfeitamente.

Ao todo são 75 bairros com muitas opções de imóveis para vender ou apartamentos para alugar em Curitiba. Escolher muito bem o local para onde você pretende mudar é a primeira coisa a fazer ao começar a busca pelo imóvel ideal. Listamos alguns itens para ser observadas que podem ser úteis na escolha do bairro perfeito para você morar.

Perfil do Bairro


Traçar o perfil do bairro é essencial antes de fechar qualquer tido de negócio, seja a compra de um apartamento ou o aluguel de uma casa. É preciso verificar a história da região, curiosidades locais, pois os bairros mais antigos têm as suas particularidades como o estilo de construções, e provavelmente os moradores tendem a serem pessoas mais tradicionais na cidade, geralmente mais idosos, o que torna consequentemente o bairro mais calmo. Já os bairros novos, geralmente em expansão, contam como muitas atrações o que leva novas famílias a optarem pelo local, consequentemente tornando-os mais agitados. Verifique como funcionam os serviços de internet, telefone e TV a cabo, por exemplo. Em bairros mais antigos às vezes o cabeamento não funciona como o esperado, já em bairros mais novos, às vezes esses serviços ainda não estão disponíveis para a população.

Também é muito importante ficar atento à segurança que o bairro oferece. Para se informar sobre esse fator, pergunte aos seus potenciais vizinhos sobre assaltos no bairro, se é tranquilo sair a pé pelas redondezas. Verifique também o policiamento no local, se o bairro escolhido conta com postos policiais cuidando das casas e pessoas diariamente.

Não esqueça também de observar se será possível contar com uma boa qualidade de iluminação nas ruas, como é feita a coleta de lixo, se há coleta seletiva e até mesmo o abastecimento de água apropriado. Esses itens são básicos, mas que podem trazer surpresas indesejadas se deixados de lado.

Trânsito e acessos
Para a definição do imóvel para comprar ou alugar, também é muito importante verificar como são os acessos aos bairros desejados. Se a região é bem servida de linhas de ônibus, se conta com terminais de transporte público e como é o acesso pelas vias urbanas até o seu futuro imóvel. Esses pontos são importantes avaliar, pois além de facilitar a vida dos moradores, podem ser contados como pontos positivos na hora de vender este imóvel. Se houver necessidade, é claro!

Se você gosta de caminhar ou andar de bicicleta nos finais de semana, levar seu cachorro para passear, é legal considerar as praças e parques que existem na região e se há ciclovias e calçadas que possibilitem a prática dessas atividades.

Como é o comércio na região
Produtos e serviços são essenciais na escolha do bairro onde você pretende alugar um apartamento ou comprar uma casa em Curitiba. Afinal, quem não gosta de comodidades não é mesmo? Morar em um bairro bem servido de tudo é o que todo mundo quer. Por isso, não deixe de verificar como é o comércio local. Como é a variedade das lojas de ruas, se há shoppings por perto, escolas públicas ou particulares, bancos, casas lotéricas, postos de gasolina, lavanderias, supermercados e muitos outros serviços, enfim o ideal é ter tudo à mão sem a necessidade de se deslocar para outras regiões e bairros da capital paranaense.

Outro ponto importante é a questão da saúde. Observem como é o acesso aos hospitais, clínicas, laboratórios, farmácias, consultórios e até mesmo se há postos de saúde por perto. Dessa forma, caso ocorra alguma emergência, você já sabe para onde correr, afinal com saúde não se brinca, não é mesmo?

O que fazer no bairro
Há quem prefira morar em bairros mais agitados, outros já preferem um lugar mais tranquilo. Visite a região e selecione as atividades que possam ser realizadas no bairro com academias, salões de belezas, restaurantes, cinemas, parques, praças e feiras. Verifique tudo o que é possível fazer no bairro tanto em dias de sol como em dias de chuva, muito comuns em Curitiba. Afinal, nada melhor do que horas de lazer e entretenimento com a família e amigos “logo ali”, sem precisar enfrentar o trânsito dos grandes centros.

Curitiba tem bairros mais comerciais e outros mais residenciais. O bom é que em alguns deles há inclusive uma mescla, ou seja, para realizar a maioria das coisas, você não precisa ir muito longe. Portanto, com todos esses itens observados, você já consegue definir um bairro ótimo para morar. Aí é só encontrar a casa ou o apartamento ideal para comprar ou alugar e fechar o negócio.

 

 

 

Por: jamaica
0
12345 Último
Siga a Jamaica Imóveis nas Redes Sociais

«fevereiro de 2018»
segterquaquisexsábdom
2930311234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627281234
567891011